23 março 2017

FALO EU TE AMO FÁCIL, FÁCIL

Nada acontece por acaso.

Em tudo há um porquê.

Era para a gente se encontrar.

Apague essas frases, largue o curso preparatório de noivos.

Amor não é uma fatalidade, é algo que inventamos, é a responsabilidade de definir, de assinar, de honrar a letra.

Colocamos a culpa no destino para não assumirmos o controle, tampouco sustentarmos nossas experiências e explicarmos nossas falhas.

Amar é oferecer nossas decisões para o outro decidir junto, é alcançar o nosso passado para o outro lembrar junto, mas jamais significa se anular.

É vulnerabilidade consciente. É fraqueza avisada.

É entregar nossa solidão ciente de que é irreversível, podendo nos ferir feio, podendo nos machucar fundo.

Não existe nada mais horrível e mais lindo.

Ninguém nos mandou estar ali, ninguém nos obrigou a nos aproximar daquela pessoa, ninguém nos determinou a começar uma relação.

Não teve um chefão, um mafioso, um tirano, um ditador nos ordenando namorar.

Foi você que optou. Assuma até o fim que é sua obra. Assuma que sua companhia é resultado direto do seu gosto, sendo canalha ou santa. Não adianta se iludir e tirar o pé. Não vale fingir e mentir freios.

Amor não é hipnose, passe, incorporação. É você querendo o melhor ou pior para sua vida. É você roteirizando e dirigindo as cenas.

Aquele que tem receio de se declarar não se deu conta de que é o próprio diretor do filme, e que a tela vai mostrar o sucesso e o fracasso de sua imaginação.


Por isso, não tenho medo de dizer “eu te amo” desde o início. O amor aumenta para quem diz “eu te amo”.

Se vou errar, eu é que errei. Se vou acertar, sou eu que acertei. Se vou me danar, o inferno será meu.

Falo “eu te amo” já no segundo encontro. Já para assustar. Já para avisar quem manda. Já para estabelecer as regras do jogo.

Falo no calor da hora ou no moletom do entardecer. Amor não surge do além, amor se cria da insistência.

A precipitação é uma farsa. Não há como me adiantar e me atrasar em sentimento que eu mesmo realizo. É bobagem negociar prazos, esperar amadurecer limites.

Exponho minha paixão fácil, fácil. Nem precisa perguntar.

Aprendo a amar amando, para entender que a maior declaração ainda não é o “eu te amo”. É quando alguém confessa: “Não consigo mais viver sem você”. Mas isso não é amor, é coragem.



F. Carpinejar

01 dezembro 2016

Presidente do TRT-2 expõe preocupação com aprovação da PEC 55

Quando você coloca um processo na Justiça do Trabalho ele demora?
A culpa é somente dos tribunais?

Ou deste governo de gente safada? Veja quem paga por isso.


Em 2016, a Justiça do Trabalho sofreu corte orçamentário superior a qualquer outro ramo do Poder Judiciário, chegando a 30% para despesas de custeio e 90% para investimentos. A medida só não inviabilizou o funcionamento dos tribunais trabalhistas por força de uma medida provisória, que concedeu a utilização de valores referentes a depósitos recursais como crédito extraordinário aos tribunais trabalhistas. 

Com a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional nº 55, que estabelece que os gastos públicos não poderão crescer acima da inflação acumulada no ano, a Justiça do Trabalho terá como orçamento para 2017 o mesmo montante do recebido em 2016. Para o presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, desembargador Wilson Fernandes, o fato é preocupante, já que o orçamento não seria suficiente para cobrir nem mesmo as despesas básicas de funcionamento da Justiça em São Paulo. 
“A aprovação da PEC e a manutenção para o próximo ano da mesma verba orçamentária direcionada à Justiça do Trabalho em 2016 trará sérios problemas. Além de inviabilizar o aprimoramento e comprometer o funcionamento das atividades, existem reflexos negativos secundários, como a propensão à falta de interesse pela carreira no Judiciário, que poderá sofrer com a evasão e aposentadoria de seus profissionais”. 
De acordo com o presidente, isso se torna ainda mais alarmante por ocorrer justamente em um período em que as demandas referentes a causas trabalhistas estão crescendo. Dados estatísticos do TRT-2 apontam aumento de pelo menos 8% da demanda processual comparado a 2015, e de até 40% quando comparado a 2010. 
No mesmo cenário em que enfrenta cortes em seu orçamento, a Justiça do Trabalho apresenta aumento em valores repassados a trabalhadores, e também em arrecadações para a União. Em 2015, no TRT da 2ª Região, dentre receitas de imposto de renda, execução previdenciária, depósitos recursais, custas e emolumentos, foram mais de R$ 12 bilhões arrecadados, ante os R$ 2 bilhões registrados como despesas. 

“O superávit é fruto da competente atuação da Justiça do Trabalho. Seu foco não deve ser, obviamente, o de custos, uma vez que constitui serviço essencial, que garante direitos, e que, por isso, não tem preço. Enfraquecer os tribunais do trabalho neste momento de dificuldades do país só trará ainda mais prejuízos à população e às importantes relações entre capital e trabalho”, completou o desembargador.

Fonte:



10 agosto 2016

Howard Gardner

Howard Gardner (Scranton, Pennsylvania, 11 de julho de 1943) é um psicólogo cognitivo e educacional estadunidense, ligado à Universidade de Harvard e conhecido em especial pela sua Teoria das Inteligências Múltiplas. Em 1981 recebeu prêmio da MacArthur Foundation. Ele é professor de Cognição e Educação na Universidade de Harvard e professor adjunto de neurologia na Universidade de Boston.




Biografia

Em 1938 seus pais fugiram da perseguição aos judeus na Alemanha nazista, com seu irmão mais velho Eric, falecido após o nascimento de Howard. Aos 13 anos de idade ele tornou-se um excelente pianista.

Howard Gardner entra na Universidade de Harvard em 1961 com a intenção de se formar em história. Mas sob a influência de Iria Erikson ele se interessa em relações sociais, uma combinação de psicologia, sociologia e antropologia, com particular interesse em psicologia clínica. Ele novamente troca seu campo de interesse após conhecer o psicólogo cognitivo Jerome Bruner e os escritos de Jean Piaget.

Depois de terminar seu doutorado em Harvard em 1971, com uma dissertação em sensibilidade de estilo em crianças, continuou a trabalhar nesta universidade, estabelecendo com Nelson Goodman um grupo de pesquisa em educação pela arte conhecido como Project Zero.

Fundado em 1967, este projeto se concentra no estudo sistemático do pensamento artístico e da criatividade em arte assim como em disciplinas da área humana e científica em nível individual e institucional.

Teoria da Inteligência Múltipla: O primeiro teste de sucesso escolar foi realizado e desenvolvido pelo psicólogo Alfred Binet em 1900. Este teste tinha por finalidade diagnosticar crianças retardadas e crianças normais. Após a primeira Guerra Mundial este teste foi aplicado nos soldados com a finalidade de diagnosticar a inteligência dos soldados. Com a propagação deste teste pensou-se que era possível medir quantitativamente a inteligência, mas de acordo com Gardner, autor da teoria das Inteligências Múltiplas: "a inteligência é (...) a capacidade de responder a itens em testes de inteligência". Os testes psicométricos consideram que existe uma inteligência geral, nos quais os seres humanos diferem uns dos outros, que é denominada G. Este G pode ser medido através da análise estatística dos resultados dos testes. É importante acrescentar que tal maneira de encarar a inteligência ainda hoje está presente no senso comum e mesmo em muitas parcelas do meio científico.

O seu livro mais famoso é provavelmente Estruturas da Mente, de 1983, onde ele descreve sete dimensões da inteligência (inteligência visual/espacial, inteligência musical, inteligência verbal, inteligência lógica/matemática, inteligência interpessoal, inteligência intrapessoal e inteligência corporal/cinestética). Desde a publicação de Estruturas da Mente, Gardner propôs duas novas dimensões de inteligência: a inteligência naturalista e a  inteligência existencialista. Os testes tradicionais de inteligência só levam em  consideração as inteligências verbais e a lógica/matemática. Essa nova teoria  tornou-se conhecida como teoria das inteligências múltiplas.

    * Inteligência Verbal - Linguistic Intelligence
    * Inteligência Musical - Musical Intelligence
    * Inteligência Lógico/matemática - Logical-Mathematical Intelligence
    * Inteligência Visual/espacial - Spatial Intelligence
    * Inteligência Corporal/cinestética - Bodily-Kinesthetic Intelligence
    * Inteligência Interpessoal - Interpersonal Intelligence
    * Inteligência Intrapessoal - Intrapersonal Intelligence
    * Inteligência Naturalista - Naturalist Intelligence
    * Inteligência Existencialista ou Filosófica - Existential Intelligence

Recentemente, escreveu um livro intitulado Changing Minds: The Art and Science  of Changing Our Own and Other People's Minds (ISBN 1578517095).

Howard Gardner crê que todos temos tendências individuais (áreas de que  gostamos e em que somos competentes) e que estas tendências podem ser  englobadas numa das inteligências listadas acima.

Livros em português:

    * ARTE, MENTE E CEREBRO (1999) ARTMED
    * ARTES E O DESENVOLVIMENTO HUMANO, AS (1997). ARTMED
    * ATIVIDADES INICIAIS DE APRENDIZAGEM (2001) GARDNER, HOWARD / 
CHEN, JIE-QI / KRECHEVSKY, MARA ARTMED
    * AVALIAÇAO EM EDUCAÇAO INFANTIL (2001) GARDNER, HOWARD / 
KRECHEVSKY, MARA ARTMED
    * CINCO MENTES PARA O FUTURO (2007) ARTMED
    * CRIANÇA PRE ESCOLAR, A (1994)
    * ESTRUTURAS DA MENTE (1994) ARTMED
    * INTELIGENCIA - MULTIPLAS PERSPECTIVAS (1998) ARTMED
    * INTELIGENCIA, A - UM CONCEITO REFORMULADO (1999) OBJETIVA
    * INTELIGENCIAS - MULTIPLAS PERSPECTIVAS (1995) ARTMED
    * INTELIGENCIAS MULTIPLAS - A TEORIA NA PRATICA (1995) GARDNER, 
HOWARD / VERONESE, MARIA ADRIANA VERISSIMO. ARTMED
    * MENTES EXTRAORDINARIAS (1999) ROCCO
    * MENTES QUE CRIAM (1996) ARTMED
    * MENTES QUE LIDERAM (1995) ARTMED
    * MENTES QUE MUDAM - A ARTE E A CIENCIA DE MUDAR (2005) 
ARTMED
    * NOVA CIÊNCIA DA MENTE (2002) RELOGIO D'AGUA/EDUSP
    * RESPONSABILIDADE NO TRABALHO (2008) ARTMED
    * TRABALHO QUALIFICADO (2004) DAMON, WILLIAM / 
CSIKSZENTMIHALYI, MIHALY / GARDNER, HOWARD BOOKMAN 
COMPANHIA ED
    * VERDADEIRO, O BELO E O BOM, O (1999)

Livros em inglês:

    * The Quest for Mind: Jean Piaget, Claude Levi-Strauss and the Structuralist  Movement - New York: Knopf, 1973
    * The Shattered Mind - New York: Knopf, 1975
    * Artful Scribbles: The Significance of Children's Drawings - New York: Basic  Books, 1980
    * Art, Mind and of Multiple Intelligence (1983) ISBN 0-465-02510-2 (1993 ed.)
    * The Mind's New Science: A History of the Cognitive Revolution - New York: Basic Books, 1985
    * To Open Minds: Chinese Clues to the Dilemma of Contemporary Education - New York: Basic Books, 1989
    * The Unschooled Mind: How Children Think and How Schools Should Teach (1991) ISBN 0-465-08896-1 (1993 ed.)
    * Creating Minds: An Anatomy of Creativity Seen Through the Lives of Freud, Einstein, Picasso, Stravinsky, Eliot, Graham, and Gandhi (1994) ISBN  0-465-01454-2
    * Multiple Intelligences: The Theory in Practice (1993) ISBN 0-465-01822-X  (1993 ed.)
    * Leading Minds: An Anatomy of Leadership - New York: Basic Books, 1995.
    * Intelligence: Multiple Perspectives - Orlando: Harcourt, 1996.
    * Extraordinary Minds: Portraits of Exceptional Individuals and an Examination of our Extraordinariness - New York: Basic Books, 1997
    * Intelligence Reframed: Multiple Intelligences for the 21st Century - New York: Basic Books, 1999
    * The Disciplined Mind: What All Students Should Understand - New York: Simon and Schuster, 1999
    * Multiple Intelligences After Twenty Years, 2003. Paper presented at the American Educational Research Association, Chicago, Illinois, April 21, 2003. [1]
    * Five Minds for the Future - Harvard Business School Press, 2007, ISBN  978-1591399124
    * Responsibility at Work - Jossey-Bass, 2007.
    * "Good Work: Aligning Skills and Values" - More Than Sound Productions[2]  2008

Livro escrito sobre Gardner:

    * Bennett, M. (2000). Self-estimates and population estimates of ability in men  and women. Australian Journal of Psychology, 52, 23–28.

Referências:
    * páginas do Project Zero, de Howard Gardner, no site da Universidade de 
Harvard
    * página pessoal de Howard Gardner
    * Howard Gardner - Escola para a Descoberta - Scranton, PA; com fotos
    * The Howard Gardner School em Alexandria, VA
    * Social psychology em Greater Good magazine
    * Artigo sobre as múltiplas inteligências
    * Teste suas Inteligências - Colégio Gardner
    *  http://www.oestrangeiro.net/psicologia/27-teoria-das-inteligencias-multiplas-de-g
ardner

Fonte: Wikipédia: Howard Gardner
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...